APRENDA A FAZER ABDOMINAIS
14/04

RSB_HOME

Selo No Pain No Gain TRainer-01Na coluna No Pain, No Gain da semana passada, o professor Marcos Pudo explicou como funcionam e quais sãos os resultados dos exercícios abdominais (veja aqui). Nesta segunda-feira vamos aprender como esse tipo de exercício deve ser feito.

Fazer abdominais de forma correta é muito difícil, porque exige grande controle e consciência corporal e, claro, um profissional qualificado para observar e orientar possíveis incorreções no movimento.

Quem faz o exercício de forma errada acaba sentindo dores nas costas. Isso porque o reto femural e os iliopsoas, que são músculos auxiliares, flexionam e a anteversão do quadril aumenta a curvatura da região lombar (hiperextensão), comprimindo os discos intervertebrais, o que leva à fadiga desses músculos trabalhados e à dor nesta região.

Existe uma grande variedade de exercícios para a região abdominal, o que favorece ainda mais a forma incorreta de praticá-los. Como muito se fala e pouco se ensina sobre esta atividade, vamos explicar a maneira tradicional e mais básica para aprender a fazer o abdominal.

A posição inicial do exercício é a flexão do quadril. No abdominal tradicional, chamado de crunch, os pés ficam apoiados no solo e os joelhos e quadril flexionados. Já as mãos devem ficar atrás da cabeça. Depois, é só flexionar o tronco sem permitir que a região lombar saia do solo. Isto vai garantir maior isolamento do reto abdome, evitando que se estimule de forma intensa os flexores do quadril (reto femural e iliopsoas).

Este exercício é o mais indicado e seguro para pessoas que estão iniciando seu treinamento ou utilizam os exercícios abdominais para completar seu programa. Faça de três a seis séries de 10 a 20 repetições e para garantir bons resultados. À medida que se evolui na força, é preciso aumentar a sobrecarga do exercício. E é aí que novamente podem ocorrer erros. Por isso, preste atenção aos movimentos sempre.

Agora que você já sabe como fazer de forma correta o exercício abdominal tradicional, procure um profissional qualificado para orientá-lo a fazer todas as suas variações. Dessa forma, além do seu treino não ficar monótono, você não sentirá desconforto nas costas (região lombar) ou no pescoço (região cervical).

Mito
Quase todas as mulheres acreditam que sentir dor na região inferior do abdome (abaixo do umbigo) próximo ao quadril é um indicador de que a gordura da região está diminuindo. Por isso, vale a pena destacar: a gordura não diminui quando você sente dor, já a sensação de fadiga na região só será sentida quando você tiver grande consciência corporal e orientação de um profissional qualificado.

Moral da história: tire a bunda do sofá e vá treinar corretamente!


Deixe seu comentário

1000 RSC_CHARS_LEFT

Antispam RSC_REFRESH_CAPTCHA RSC_CAPTCHA_CASE_INSENSITIVE

Facebook
Instagram